OBREIROS DE CRISTO - JPN

OBREIROS DE CRISTO - JPN

sábado, 19 de outubro de 2013

O Deserto da desobediência


Obediência gera; honra, bênçãos e proteção. O inverso; desobediência, gera deserto!
Boa parte dos cristãos vivem numa cilada: a da obediência parcial. Lendo isto talvez você pense; este não sou eu! Mas a Igreja dos nossos dias vive em franca rebelião. Este espírito está incorporado em nosso caráter conforme a denuncia de IITm. 3:1 a 5
O pecado de desobediência de Saul descrito em I Samuel 15 é visto como um erro aparentemente tão tolo, mas a Palavra de Deus seja escrita ou falada mesmo sem entender ou gostar deve ser atendida na integra. As consequências foram seríssimas. Nunca administre a obediência, nunca racionalize; obedeça.
Desobediência é consequências de um coração duro que está acostumado a buscar sua própria vontade em primeiro lugar. Isto gera acumulo de pecado. Cobiça, ganância, oportunismo, auto justificativa, orgulho, egoísmo, etc. Além disso o inimigo sempre bate forte em nossas fraquezas e a única maneira de vence-lo é vigiar e orar. Não dê lugar!
A resposta do Profeta Samuel a Saul é também para nós. "Tem o Senhor prazer em holocausto e sacrifícios como em que se obedeça à palavra do Senhor? Eis que obedecer é melhor do que sacrificar; e o atender melhor é do que a gordura de carneiros.
Porque a rebelião é como o pecado de feitiçaria, e o porfiar é como iniqüidade e idolatria."          (I Sm. 15: 22 e 23)
Porfiar = discutir, alterar, contender obstinadamente.
Iniqüidade = perversidade, injustiça, que se opõe a verdade.
Por incrível que pareça muitas pessoas na Igreja vivem em desobediência. E porfiar, idolatrar e se rebelar faz parte. Vivem em mascarada e justificada rebelião. Procuram sempre um culpado para os seus erros, além de se justificar.
Este comportamento torna a pessoa vulnerável e abre portas para os ataque de demônios. Uma forte opressão demoníaca passa a acontecer na vida da pessoa que abre a porta da desobediência.
Quando tudo estiver dando errado e, enfermidades, dificuldades financeiras, desentendimentos, esfacelamento familiar, tudo isso como uma enxurrada vierem sobre ti,
é hora de ir para a Cruz e com sinceridade buscar a causa. Não estou dizendo que passar por lutas e provas tem como causa somente a desobediência, mas quando as provas vêem do Senhor, é para tratar com o nosso caráter, nos santificar e mostrar a glória de Deus. E temos paz interior, pois Ele passa conosco e nos da vitória. Mas quando o causador é a nossa obstinação e desobediência, com certeza o inimigo esta agindo!
O espírito de engano é o primeiro a entrar e os outros vem em seguida, ganância, cobiça, orgulho e o laço de iniqüidade se fecha. Tudo por causa da desobediência.
Se recusar a obedecer nos faz ficar andando perdidos pelo deserto da desobediência.
Arrependimento e confissão do pecado atrai a glória de Deus, quebra a dureza de coração e nos leva a ser sensível a voz do Espírito. Ele sempre nos ajuda a obedecer!

sábado, 18 de maio de 2013

FESTA DE PENTECOSTES


Atos é o único livro do Novo Testamento que registra quanto tempo se passou entre a morte de Jesus e sua ascensão: "Depois de ter padecido, se apresentou vivo, com muitas e infalíveis provas, sendo visto por eles por espaço de quarenta dias" (1:3). O próximo evento importante, após a ascensão de Jesus ao céu, foi o Pentecostes (Atos 2:1). Pentecostes é a palavra em grego para 'quinquagésimo', e se referia a uma celebração da "festa das semanas" (cf. Êxodo 34:22; Deuteronômio 16:9ff) cinquenta dias após a Páscoa. Uma vez que Jesus foi crucificado durante a Páscoa, o Pentecostes de Atos 2:1, durante o qual os discípulos foram enchidos do Espírito Santo (Atos 2:4), ocorreu por volta de cinquenta dias após a crucificação, e dez dias após a ascensão em 30 d.C.

domingo, 20 de janeiro de 2013

Virada do Ano - Ap. Doriel Dias





O Cristianismo não é uma competição de velocidade, mas de perseverança. Portanto não é a forma como começamos que conta, mas a forma como concluímos. É por isso que as Escrituras nos encorajam a perseverar. Estamos no final de 2012. Quais foram as suas conquistas? O que deste ano precisa ser mantido? 2013 é algo totalmente novo que inicia ou é uma continuidade de conquistas? Esteja atento para não perder aquilo que conseguiu com esforço. O modo como terminamos é determinado pelas escolhas que fazemos e estas em geral são formadas pelos padrões que desenvolvemos ao longo da jornada. Um bom exemplo bíblico é o povo de Israel: ‘No Egito eles não desenvolveram o padrão de dar ouvidos a Palavra de Deus e mesmo quando saíram da escravidão continuavam reclamando e desobedecendo. Este comportamento parecia não afetá-los em nada, mas quando chegou o momento que definiria a vida deles, fizeram a escolha errada. ‘Doze espias foram enviados a Canaã para dar olhada na terra que Deus havia separado para eles e voltaram com um relatório negativo e desanimador e toda a congregação os seguiu começando a reclamar como antes e assim perderam o sonho da Terra Prometida e vagaram pelo deserto o resto de suas vidas. Não houve como reverter o prejuízo. Outro exemplo é o filho do rei Salomão: ‘Quando Roboão assumiu o reino de Israel, após a morte de seu pai Salomão. Seus súditos lhe procuraram, dizendo: “Seu pai fez pesado o nosso jugo; alivia a dura servidão e nós lhe serviremos”. ‘O jovem rei pediu um tempo para pensar e os anciões lhe aconselharam, dizendo: “Leve em consideração o pedido deles e aja com compaixão e eles farão qualquer coisa por você”. Foi um conselho bom e sábio, mas o rei rejeitou e foi consultar os jovens colegas que o aconselharam a dizer: “Se vocês achavam que a vida era dura sob o governo de meu pai, ainda não viram a metade. Meu pai os castigou com açoites; eu baterei em vocês com correntes”. 1Rs 12 ‘O jovem rei deu ouvido aos conselhos dos amigos e o resultado foi trágico. Dez das doze tribos de Israel se afastaram. Uma escolha errada custou-lhe cinco sextos do reino. Quando chegou o momento de definir a sua vida, faltou ao jovem rei o padrão necessário para realizar um julgamento de peso. Existem momentos que decidem nossa vida. Eles são como provas com direito a consulta, porém não sabemos que fomos examinados até que elas tenham terminado. Portanto, quando o momento que definirá a sua vida chegar, se você tiver desenvolvido o padrão de dar ouvidos a conselhos sábios, fará escolhas certas e será recompensado. A forma é simples, desenvolva padrões para obedecer e honrar os conselho de Deus. Comece separando um tempo para conversar com Ele, de preferência, nas primeiras horas do seu dia. Leia a Bíblia, e faça anotações que edifiquem. A cada dia oportunidades de fazer escolhas se apresentam diante de nós. Um dia olharemos para trás e saberemos quais delas tiveram o poder de definir a nossa vida, mas se tivermos desenvolvido padrões baseados em Deus, veremos a recompensa. Todo crente comparecerá diante do Trono do Julgamento de Cristo. Naquele dia cada um vai receber de acordo com o que fez durante o seu tempo na terra. Seremos recompensados ou sofreremos perda, pelo que fizemos como crentes. As nossas ações, palavras, pensamentos e até mesmo motivos, serão inspecionados à luz da Palavra. As coisas temporárias sobre as quais edificamos a nossa vida serão consumidas, o que resultará em perda, e as eternas serão purificadas e transformadas em recompensas duradouras. A salvação não é por obras, mas o galardão é. O que fazemos com a Cruz de Cristo determina onde passaremos a eternidade, no entanto, o modo como vivemos como crentes determina como passaremos a eternidade. A Palavra de Deus uni os céus a terra e nos capacita a fazer boas escolhas. Seja prudente, escute e ponha em prática este conselho: Em 2013 dedique tempo de qualidade a leitura da Bíblia. Jesus está voltando! Esta expectativa faz parte das suas prioridades para o ano que inicia ou você não está preocupado com está possibilidade?