OBREIROS DE CRISTO - JPN

OBREIROS DE CRISTO - JPN

segunda-feira, 1 de agosto de 2016

Não amo mais minha esposa! E agora?


Não amo mais minha esposa ¡ E Agora?      

Amor: um mandamento
O espírito de sensualidade tem por objetivo transferir a ênfase principal do amor, ou seja, exaltar o aspecto sentimento em detrimento do aspecto mandamento. Desta forma o verdadeiro amor sofre sua principal descaracterização. Os relacionamentos ficam desprovidos de responsabilidade e tornam-se desprotegidos. Quando Jesus estabeleceu o amor como um mandamento, entendemos que apesar dele possuir uma faceta sentimental, o amor é essencialmente baseado em escolhas morais sintonizadas com a vontade de Deus e como conseqüência estaremos semeando e colhendo uma vida emocional saudável e equilibrada.
Amar é um verbo e não um sentimento volátil. É importante evidenciar a diferença entre gostar e amar. Mesmo que você não goste de alguém, você precisa amar esta pessoa. Realmente existem muitas pessoas de difícil convivência, as quais definitivamente não gostamos, mas podemos e devemos amá-las.
Não podemos simplesmente dizer: não amo mais minha esposa e por isto vou deixá-la. Não podemos fazer do não gostar um pretexto para não amar. Esta irresponsabilidade que nos leva a sonegar o amor, quebrando relacionamentos e alianças são capazes de gerar perdas irreversíveis. Talvez você não sinta mais nada por ela, porém não é isto que irá impedi-lo de amá-la, muito pelo contrário. É agora que você precisa negar a si mesmo e começar a praticar o amor que você deixou de praticar a muito tempo. Desta forma o sentimento começa novamente a manifestar- se e estabilizar-se. Isto nos acrescenta a genuína maturidade que prospera a alma.  Texto extraído do livro A face oculta do amor (Pr. Coty)